Jaraguá

Bem-vindo ao distrito Jaraguá

Este distrito situado na Zona Noroeste abrange os bairros de:

  • Capela da Lagoa
  • Cidade D’Abril
  • Conjunto Bandeirantes
  • Conjunto City Jaraguá
  • Conjunto Habitacional Brigadeiro Edutardo Gomes
  • Conjunto Habitacional Turística
  • Conjunto Residencial Alpes do Jaraguá
  • Conjunto Residencial Elísio Teixeira Leite
  • Conjunto Santa Marta
  • Conjunto Vila Brasilândia
  • Conjunto Vista Linda
  • Conjunto Vista Livre
  • Conjunto Voith
  • Estância Jaraguá
  • Jaraguá
  • Jardim Alvina
  • Jardim Bandeirantes
  • Jardim Brasília
  • Jardim Donária
  • Jardim Ipanema
  • Jardim Líder
  • Jardim Pirituba
  • Jardim Rincão
  • Jardim São João
  • Jardim Shangrilá
  • Jardim Taipas
  • Jardim Vivan
  • Loteamento City Jaraguá
  • Parada
  • Parque Industrial City Jaraguá
  • Parque Nações Unidas
  • Parque Panamericano
  • Parque Taipas
  • Vila Ana Rosa
  • Vila Aurora
  • Vila Eliana
  • Vila Homero
  • Vila Nossa Senhora da Conceição
  • Vila Nova Jaraguá
  • Vila Nova Parada
  • Vila Santa Lucrécia
  • Vila Santo Estevam Reis




História: Distrito Jaraguá

As primeiras notícias do distrito nos remetem a uma grande fazenda que tinha o pico do Jaraguá praticamente como parte do quintal. Na fazenda erguia-se a casa grande de propriedade de Afonso Sardinha, e um português que teria chegado ao Brasil em 1550, muito pobre. Em São Paulo, depois de enfrentar mil desafios, enriqueceu para valer. Já era proprietário de longas fazendas no então bairro do Butantã.

Grande comerciante, lavrador, caçador de índios, agiota, importava escravos da África, recebia lãs, couros e medicamentos do rio da Prata. Vendia índios em Buenos Aires e fabricava e exportava marmelada, entre outras atividades.

Em 1580, regressando de Araçoiaba, onde descobria minério de ferro, percebeu vestígios de outro no ribeirão Itaí, nas proximidades do bairro. O local era terra dos índios, e Sardinha só conseguiu começar a mineração dez anos depois. Em tupi Jaraguá significa “senhor do vale”.

Quanto ao outro, foi avidamente explorado até meados do século XIX, quando se tornou anti econômico. Ainda hoje se percebem as cicatrizes e os sulcos deixados no pico pelos garimpeiros. Somente por volta de 1940 é que a prefeitura resolveu olhar para o pico, e seis anos mais tarde entregou mais um ponto turístico à capital.

Nesse tempo também os trilhos da Ferrovia São Paulo – Jundiaí passaram pela região e nela fincaram uma pequena estação. Foi bastante para que diversos amontoados de casinhas fossem aparecendo ao longo dos trilhos.

Em 1941 a Igreja Nossa Senhora da Conceição tornou-se uma paróquia, que começou a ser cercada por residências, o que a transformou no bairro de Nossa Senhora da Conceição.

O pico foi se tornando um ponto de visita obrigatória para os paulistanos e assim, em 1948, a região tornou-se o sexto distrito da capital. Como em outros casos, a região se desenvolveu e cresceu lentamente, principalmente por estar nas imediações de duas grandes rodovias – Anhanguera e a Bandeirantes.

Fonte: 450 Bairros São Paulo 450 Anos
Editora: Senac São Paulo
Autor: Levino Ponciano

Site Fonte: SPBAIRROS
Veja Mais: Todos os bairros da Zona Norte de São Paulo

Jaraguá

Fonte da Imagem: Wikipédia